Poeta preto

Uma questão de oportunidade, por Salete Rêgo Barros

DIVULGAÇÃO SEMANAL DE ASSOCIADOS

Ontem (5/2/19) a Cultura Nordestina recebeu a Trupe @vejabemmeubem, para a apresentação do monólogo Poeta Preto – o estranho desconhecido familiar, por Rosberg Alexsander, jovem ator (23), morador de uma favela em Caruaru. O texto é de outro jovem (19) – Wanderson Santos, da mesma cidade – texto que fala do estranhamento familiar e da transgressão da negritude em uma sociedade racista. “O corpo expressa a alma e o vazio torna-se cheio de conceitos. À noite, o Poeta deixa questionamentos efervescentes e respostas carregadas (ou não) de sutilezas. Oferece o peito nu e a cara à tapa. Um rosto negro que grita em meio à pré-concepção da divisão humana por cor, em uma inquietude que ecoa”.

Até aí nada de mais, se o espetáculo atingisse, apenas, o habitual público consumidor de arte. Os integrantes da trupe (em torno de 9): sonoplasta, iluminador, músicos, poetas e o escritor e produtor cultural Thiago Medeiros, do Letras em Barro, levam o teatro, a música e a poesia, para fora dos palcos – praças, escolas, restaurantes, residências, etc. Ao invés de o público ir ao teatro, o teatro vai ao público.

Outro detalhe interessante é que a turma se dispõe a dar aulas de artes cênicas a pessoas de diversas faixas etárias, incluindo-se aí as da terceira idade. Vale salientar que Thiago, bancário concursado do Banco do Brasil há 14 anos, pediu demissão do emprego, há 1 ano, para se dedicar à literatura, trabalhar na área cultural e dela tirar o seu sustento. Note-se aí a grande diferença entre os que empregam sua força de trabalho na desconstrução do país, e os que a empregam na construção da política cidadã através do viés cultural.

Este grupo jovem, como tantos outros espalhados pelo Brasil, teve a oportunidade de seguir pelo caminho da arte, educação e cultura. Outros, infelizmente, enveredam pelo caminho das drogas e da criminalidade. É uma questão, apenas, de oportunidade.

Aproveito para agradecer à Deputada Teresa Leitão, pelo apoio dado ao grupo para fazer o seu deslocamento até o Recife.

Conheça a história da Cultura Nordestina

Comentários Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *